domingo, 8 de janeiro de 2017

Curitibana vê a própria foto em carrinho de crepe



Publicado originalmente no site G1 PR, em 07/01/2017.

De férias no nordeste, curitibana vê a própria foto em carrinho de crepe.
Ambulante que trabalha no Rio Grande do Norte pegou a foto na internet.
'Quase que eu não acreditei, mas ela ficou rindo', disse ambulante.

Bibiana Dionísio
Do G1 PR.

Férias, praia, mar, aquela preguiça gostosa na areia e uma surpresa. Enquanto aproveitava os dias de folga a três mil quilômetros de casa, na Praia de Ponta Negra, no Rio Grande do Norte, a jornalista Francielly Azevedo, que mora em Curitiba, se deparou com a própria foto estampada em um carrinho de crepe."Eu levantei e falei: sou eu, moço. Sou eu, e ele não acreditou", contou a jornalista.

O carrinho de crepe francês é o sustento do ambulante João Batista de Mendonça, de 36 anos. Desde 2000, ele trabalha na praia. Aleatoriamente, ele fez uma pesquisa na internet por "crepe francês mulher" e encontrou a foto da jornalista. Sem hesitar, decidiu colocar a foto para ajudar nas vendas na beira da praia.

Batista nem se importou com o fato do "figurino da modelo" estar destoante do cenário das vendas – blazer, blusa de lã e camisa.

A imagem foi postada pela própria jornalista, no Facebook, em 2013. Na ocasião, ela fez um registro de um dia de trabalho em meio à produção de uma reportagem para um programa de culinária na emissora em que trabalha.

"Era mais uma reportagem, mas um dia legal. Eu achei legal o formato do crepe francês, porque a gente está mais acostumado com o crepe suíço, e fiz a foto", lembrou.

A coincidência chamou a atenção da jornalista e também dos amigos que acompanharam a história pelas redes sociais. "Eu estava deitada, veio um rapaz me oferecer um crepe e eu falei que não queira. Eu levantei, sentei e o carrinho estava estacionado exatamente na frente da minha espreguiçadeira. Isso que eu achei mais louco, a coincidência. Mais de três mil quilômetros, eu sair de Curitiba e achar minha foto no carrinho de crepe".

'Sou eu mesma'.

No momento em que se deparou com o carrinho de crepe, Francielly não conseguiu convencer o ambulante que era ela na foto. Afinal, a fotografia é de 2013. Naquela época, a jornalista estava ruiva e sem bronzeado algum, típico para os moradores de Curitiba.

Hoje, a jornalista está loira e, como dizem, com a cor do verão conquistada após 15 dias de sol no Rio Grande de Norte. "Eu tentei explicar para ele, mas ele não acreditou. Ele dizia que não era eu, e eu dizia que sim, mostrei a pinta no rosto e tudo".

O ambulante só acreditou que de fato estava na frente da "modelo" quando ela disse, sem olhar, o que estava escrito no cordão do crachá que aparece na foto.

A coincidência não saiu da cabeça da jornalista, que queria encontrar o ambulante novamente para poder tirar uma foto do lado do carrinho e contar para os amigos. "Eu pensava: meus amigos não vão acreditar na hora que eu contar essa história".

"Andei a orla toda e não o encontrei. Quando eu o avistei, saí correndo atrás do carrinho, e ele saiu correndo também. Eu correndo atrás dele, e ele correndo de mim porque ele achou que ia chamar a polícia, ia fazer alguma retaliação", contou aos risos a jornalista.

Mais calmo, o ambulante entendeu que Francielly não tinha intenção de chamar a polícia e que havia achado graça da coincidência. "Ele acabou me dando uns quatro crepes. Vendi o direito de imagem por quatro crepes", brincou.

"Fama".

Passado o susto, Batista disse ao G1 que, agora que tem a autorização de Fancielly, não vai substituir a foto. “Não vou tirar, não. Vou é ficar famoso!”, brincou. Batista conta que a concorrência na praia é grande, mas ele consegue vender de 50 a 60 crepes por dia.

Antes, o carrinho tinha a imagem do crepe, mas as pessoas tinham dúvidas de como comer.
"Eu vi a foto na internet, eu pedi para o rapaz que trabalha com adesivo colocar uma foto de uma mulher segurando um crepe. Eu nem conhecia ela, e hoje está nas redes sociais".

Batista conta que quase não acreditou que estava cara a cara com Francielly.

"Quase que eu não acreditei, mas ela ficou rindo. Eu pensei que ela ia ficar endiabrada comigo, mas ela disse que não e perguntou se não tinha uma foto mais bonita. Eu disse que não, era só aquela mesmo", lembrou o ambulante.

Texto e imagens reproduzidos do site: g1.globo.com/pr/parana

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Dia mundial da propaganda

Imagem reproduzida do site: ceuma.br

Publicado originalmente no blog Castelo Branco, em 4 de dezembro de 2014.

Dia da propaganda 4 de dezembro.

Hoje é o dia mundial da propaganda. Mas você conhece a historia da propaganda?

Tudo começou quando Arqueólogos  que faziam suas pesquisas em países próximos  ao  Mar Mediterrâneos descobriram escritos que anunciavam eventos e ofertas.  E claro que não podemos esquecer dos romanos que pintavam as paredes para anunciar lutas de gladiadores .

Outra antiga forma de propaganda era a marca que os comerciantes colocavam em seus  produtos, tais como potes. A medida que sua reputação se espalhava de boca em boca, os compradores começavam a procurar uma marca em particular.

Momento de transição da história na propaganda  mundial ocorreu em meados do século XV, quando Johan Gutemberg inventou a impressa. Os anunciantes não precisavam mais  produzir  cópias  extras manualmente.

Em 1478 foi publicado a primeira propaganda na língua inglesa. A propaganda ganhou mais  incentivo com o lançamento do primeiro  jornal  inglês. The Weekly News.

Na propaganda americana Benjamim Franklin é conhecido como o precursor porque seu jornal, publicada em 1729, teve grande repercussão. Mas foi a partir do seculo XIX que a propaganda ganhou sua expansão. A tecnologia e as técnicas de produção  já tinham atingido os meios de produção em massa com isso veio a superprodução  e a subdemanda. tornando – se necessário estimular o mercado, de modo que técnica publicitaria  mudou de simples informação para persuasão.

Propaganda chaga ao Brasil.

Em 1808, no Brasil, O “Jornal Gazeta do Rio de Janeiro ” é fundado, dando inicio imprensa brasileira. Sendo assim, encontrado o primeiro anúncio impresso os classificados,  chegam de fininho e pouco pouco vão tomando tempo, numerosos e variados.

Uma das mais importante propagandas brasileiras !!



Texto e vídeo reproduzidos do blog: castelobranco.br/blog

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Sergipano de 26 anos é destaque no mercado publicitário

Foto: Portal Infonet.

Infonet - Cultura - Noticias - 01/12/2014.

Sergipano de 26 anos é destaque no mercado publicitário
Erick Mendonça trabalha na agência americana Crispin Porter

A propaganda é a alma do negócio. Frase conhecida e que, para alguns, faz ainda mais sentido. O sergipano Erick Mendonça pode ser a prova de que a propaganda é, sim, a alma do negócio que alavanca carreiras e desenvolve o mercado em todo o mundo. Morando em São Paulo atualmente, o publicitário de 26 anos retornou a Aracaju para dar palestra sobre sua trajetória na profissão.

Apesar de jovem, o redator publicitário sergipano tem currículo de “gente grande”. Erick Mendonça foi o representante do Brasil no Young Lions em 2013, em categoria que seleciona os maiores talentos do país com até 28 anos.  Ele foi também o sexto redator mais premiado do mundo em 2013, segundo o Ad-Age. Além disso, Erick é dono de onze leões no Festival de Cannes, prêmio mais cobiçado da propaganda mundial. Atualmente, ele trabalha na filial brasileira da agência americana Crispin Porter.

Em “Manobras de um Pau de Arara”, palestra realizada nesta segunda-feira, º, Erick conversou com dezenas de alunos do Senac sobre os caminhos que percorreu para alcançar seus objetivos como publicitário. Há quatro anos e meio morando na capital paulistana, o jovem promissor se formou na Universidade Tiradentes e conta que fica feliz em retornar a capital sergipana com “outro papel”. “Quatro anos atrás eu estava no papel de espectador. Agora, de palestrante, podendo compartilhar um pouco da minha trajetória”, conta Erick.

Sobre servir de inspiração para outros jovens, o publicitário conta que essa é a intenção. “Se eu puder ajudar, se eu for uma boa referência para esses jovens, já está valendo”, disse Erick. “O começo é complicado em todas as áreas, mas quero mostrar o dia-a-dia do redator publicitário, mostrar que, apesar de difícil e concorrida, é uma área apaixonante”, completou. “Se eu conseguir fazer com que alguém vire publicitário, vai ser muito legal”, falou Erick, rindo.
  
Sucesso antes dos 30

Para se destacar no mercado de trabalho, Erick capricha na fala quando o assunto é força de vontade. “Sempre falo em força de vontade e arriscar. Eu já tinha uma vida legal aqui trabalhando na área, mas decidi deixar tudo pra arriscar mesmo e ir atrás do meu sonho, que era trabalhar em uma agência grande mundialmente”, disse ele. “Pedras no caminho sempre acontecem. Você tem que ser forte para superar essas fases que são difíceis”, completou o publicitário.

Erick conta que acha estranha a fase pela qual está passando. “Eu projetei estar nesse lugar que estou agora mais pra frente. No início eu pretendia estar entrando em uma agência grande com 25 anos. E acabou acontecendo tudo muito rápido”, contou.

Minutos antes de palestrar diante dos jovens do Senac, Erick deixou seu recado. “Pode soar clichê, mas é a verdade: se você tem um sonho e você acreditar e trabalhar para que ele aconteça, ele vai acontecer. Pode demorar mais ou menos, mas vai acontecer".

"Foi o que aconteceu comigo. Fui fazendo o máximo para que eu conseguisse entender como funciona o mercado em SP (mundial e concorrido), e aos poucos fui ganhando meu espaço. Espero continuar fazendo isso por muito tempo”, disse o publicitário.

Na noite desta segunda-feira, 1º, Erick Mendonça recebeu o troféu Senac Pleno. A solenidade aconteceu no auditório Hilton José Ribeiro, no Senac.

Por Helena Sader e Verlane Estácio.

Texto e imagem reproduzidos do site: infonet.com.br/cultura

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Outdoor do McDonald's interage com smartphone do consumidor


Outdoor do McDonald's interage com smartphone do consumidor

O McDonald's da Malásia aproveitou o calor local para promover uma ação inusitada. Criada pela Leo Burnett de Kuala Lumpur, a iniciativa instalou um outdoor gigante no bairro de Bukit Bintang, um dos mais movimentados do país asiático. No painel, um Sundae derretendo era exibido. O alimento só poderia ser salvo por meio das interações feitas por pedestres em seus smartphones.

Além de criar a interação entre o consumidor e o outdoor, a ação também premiava aqueles que conseguiam ajudar o Sundae a não derreter com um vale sundae enviado diretamente para o smartphone. Mas não parava por aí, pois o brinde também derretia o que forçava os pedestres a correrem até o McDonald's mais próximo para coletar o prêmio.

Em 200 minutos de ação, mais de 1500 sundaes foram distribuídos gratuitamente na região.

Confira o vídeo da ação:



Foto, texto reproduzidodo site: adnews.com.br/publicidade